• Beto Tupinambá

No 'novo normal', humor é fundamental!

Neste novo mundo do trabalho remoto pode ser complicado criar conexões ou ampliar sua rede de relacionamentos. O pior é que a gente perde todas as alegrias e aquela sensação que dá quando a gente sabe que faz parte de um time vencedor.

Chamadas de Habilidades Globais, tais competências estão presentes nas melhores equipes, como colaboração e comunicação clara e dinâmica entre todos os colaboradores, criatividade e pensamento crítico para oferecer produtos e serviços diferenciados. Ao desenvolvermos as Habilidades Socioemocionais - como autoconhecimento, resiliência e empatia - nos tornamos indivíduos mais capazes de lidar com as alegrias e principalmente com as tristezas e perdas que a vida nos traz, tanto no escopo pessoal, quanto no profissional. Pessoas que desenvolvem suas Habilidades Socioemocionais são bem-sucedidas na vida (seja qual for a concepção de 'sucesso' que elas tenham) porque se relacionam melhor com as outras pessoas e sabem como gerenciar suas metas de vida. Mas de nada adianta o esforço de sua empresa para criar um ambiente propício quando o mau humor impera. Alegria e bem-estar não combinam com mau humor, e pessoas mau humoradas têm sim a capacidade de infestar todo o ambiente com ideias e pensamentos ruins, que certamente não ajudam. A ciência behaviorista sugere que criar na empresa uma cultura de bom humor e leveza é o caminho mais curto para conquistar aquele ambiente agradável, onde todos gostariam de estar, trabalhar e viver. Mas como, exatamente, podemos criar times mais conectados, criativos e resilientes?

A resposta está em cada membro, de cada time, e na história que trazem consigo. Quanto mais você se importa e interage, mais vai poder entender o outro e ajudar - ou pelo menos se sensibilizar com a dor e com as alegrias dele. Somente quando um time age realmente como um time é que se começa a criar o ambiente ideal e saudável para todos.

9 visualizações